Sábado, 16 de Outubro de 2021 09:57
(62) 9 84257527
Esportes Goiás

Tem goiano nas Paralimpíadas de Tóquio

O Estado de Goiás terá uma boa representatividade no maior evento do paradesporto mundial, com 14 atletas paralímpicos classificados, de um total de 260 na delegação brasileira. Destes, seis atletas, de três modalidades diferentes, são apoiados diretament

25/08/2021 13h00
89
Por: Lorena Lázaro Fonte: Secom Goiás
Foto: Reprodução/Secom Goiás
Foto: Reprodução/Secom Goiás

Dezessete dias após o fim das Olimpíadas de Tóquio, a chama olímpica segue acesa na capital japonesa. Foram abertos oficialmente nesta terça-feira (24) os Jogos Paralímpicos Tóquio 2021. A cerimônia se iniciou às 8h30 (horário de Brasília) e também foi realizada no Estádio Olímpico, sem a presença de público e com o número reduzido de participantes. As competições vão até o dia 5 de setembro.

O Estado de Goiás terá uma boa representatividade no maior evento do paradesporto mundial, com 14 atletas paralímpicos classificados, de um total de 260 na delegação brasileira. Destes, seis atletas, de três modalidades diferentes, são apoiados diretamente pelo Governo de Goiás, através da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer.

A seleção brasileira feminina de vôlei sentado conquistou a medalha de bronze nas Paralimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. Em 2019 veio a medalha de prata nos Jogos Parapan-Americanos de Lima, no Peru. Para buscar mais um lugar no pódio, o time conta com a manutenção de uma base goiana, com quatro das 12 jogadoras do elenco.

Mais experientes, Ádria Jesus e Jani Freitas vão para a terceira participação em Paralimpíadas. Já Pâmela Pereira e Nurya Almeida estiveram no Rio de Janeiro em 2016 e estão agora nos Jogos de Tóquio. As quatro jogadoras bolsistas do Pró-Atleta, programa de fomento ao esporte de alto rendimento do Governo de Goiás.

“O programa é fundamental para a gente manter a nossa preparação em alto nível. Usamos o recurso para comprar materiais esportivos, gastos com academia, suplementação alimentar, entre outros. Sem esse suporte seria muito mais difícil para a gente se manter em atividade”, destacou Pâmela Pereira, que vive a expectativa de disputar as Paralimpíadas pela segunda vez.

Além disso, em boa parte do ciclo paralímpico as atletas goianas utilizaram as dependências do Centro de Excelência do Esporte para realização dos treinamentos. A seleção brasileira faz a sua estreia nas Paralimpíadas de Tóquio nesta quinta-feira (25), às 6h30 (horário de Brasília), e depois ainda joga na primeira fase contra Irã e Alemanha.

Mais dois representantes goianos em Tóquio são apoiados pelo Pró-Atleta e vão participar das Paralimpíadas pela primeira vez. Ele começou sua trajetória esportiva no tiro esportivo, mas decidiu mudar de modalidade em 2016, quando migrou para o tiro com arco.

A adaptação foi rápida, e os cinco anos foram suficientes para conquistar duas medalhas de bronze nos Torneios de Ranking Mundial de 2018 e 2019, nos Emirados Árabes e Estados Unidos, respectivamente, e duas pratas nos Parapan-Americanos de 2018 e 2021, na Colômbia e no México. Além de Hélcio, Goiás também terá representatividade no tiro com arco com Jane Karla, que vai para a sua quarta participação paralímpica, e Andrey Muniz, que esteve no Rio de Janeiro em 2016.

Já Millena França vai estrear em Jogos Paralímpicos aos 25 anos. A jovem começou no esporte no tênis em cadeira de rodas, mas aos 18 anos migrou para o tênis de mesa, modalidade pela qual rapidamente começou a colher frutos. Atualmente a mesatenista é heptacampeã brasileira na categoria F7. Recentemente ficou na quinta posição na disputa dos Jogos Parapan-Americanos de Lima, no Peru. Na seleção brasileira ela terá a companhia da também goiana Lethícia Rodrigues, de apenas 18 anos.

Também teremos atletas goianos competindo na natação (Vanilton Filho e Ruiter Silva), atletismo (Rodrigo Parreira), ciclismo (Carlos Alberto Soares) e bocha (Ercileide Laurinda).

Foto: Secretaria de Esporte e Lazer (Seel)

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias